sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Iogurte Grego Caseiro (0% Gordura e Zero Açúcar)

Demorei para fazer o post do iogurte porque queria fazer umas fotinhos para ilustrar e só consegui hoje! Bom, vamos falar de iogurte?

O iogurte nada mais é que o leite fermentado, a partir da adição de lactobacilos probióticos. É uma excelente fonte de proteínas, minerais e vitaminas, têm baixo teor calórico, menos lactose que o leite comum e além de tudo é delicioso!!! 

O consumo diário de iogurte aumenta a imunidade, previne a osteoporose, melhora o trânsito intestinal (e consequentemente o humor, hehe), ajuda a emagrecer (uhuuuuuu!) e deixa a pele mais bonita (mais uhuuuuu ainda!)!!! Precisa mais benefícios? Não, né? Mas tem, só acessar os links no fim do post e checar...

Eu já consumo iogurte natural há muitos anos, não só porque estou de dieta. Mas na Dieta Dukan ele é ingrediente de uma série de receitinhas, então acaba se tornado item indispensável na geladeira.

Fazer o iogurte em casa é uma questão de economia, claro, mas também de saúde! Só assim podemos garantir que é realmente zero açúcar e zero gordura. Passei um bom tempo consumindo o grego industrializado, logo que foi lançado, até pegar uma lupa para ler o rótulo. É cheio de conservantes e, pior, açúcar!!!! Foi aí que tomei a decisão de comprar uma iogurteira elétrica, para facilitar a vida, mas é super fácil de fazer sem também!

Iogurte Caseiro ZERO:



1 litro de leite desnatado
2 colheres de sopa de leite em pó desnatado
1 pacote de fermento para iogurte (1ª vez)
ou 
1 copo de iogurte natural desnatado industrializado (1ª vez)
ou
3 colheres de sopa do iogurte grego (nas próximas vezes)

Eu prefiro começar com o fermento, pois assim tenho certeza que não terá aditivos industriais, como acidulantes e conservantes por exemplo. Se não achar, te joga no iogurte de potinho mesmo! O leite em pó eu uso para melhorar a consistência final do iogurte, pois quando se usa leite desnatado no lugar do integral ele fica mais ralinho e o leite em pó dá uma engrossadinha, hehe!



Na iogurteira é só colocar todos os ingredientes no pote, misturar bem até dissolver o fermento/iogurte e o leite em pó, ligar a maquininha e deixar lá paradinho por umas 8 a 10 horas. Na foto, como "isca", estou colocando o iogurte grego caseiro que eu já tinha. Depois de pronto é só manter na geladeira e ser feliz!

Quem não tem uma iogurteira:


Levar o leite ao fogo. Assim que começar a levantar fervura, desligar e deixar resfriar por uns 30 a 45 minutos. Se tiver um termômetro culinário, monitora a temperatura até que chegue próximo de 45ºC. Sem o termômetro, é só experimentar com o dedo. Se conseguir colocar o dedo no leite e manter por uns 10 segundos, sem queimar o dedo, está bom, hehe! Agora é o momento de adicionar os lactobacilos, a "isca", sejam do fermento, do iogurte industrializado ou do caseiro anterior. Eu aconselho usar um pote que se possa fechar bem! Mistura bem a "isca" ao leite morno, fecha o pote, enrola em toalhas ou cobertor e leva ao forno (desligado, óbvio, hehe), ou microondas, ou uma caixa térmica, por umas 6 a 10 horas. O importante aqui é que fique quietinho e num local onde possa manter a temperatura. Se estiver um dia muito frio, pode pré-aquecer o forno por 1 minuto antes de levar o pote enrolado, só não esquece de desligar o forno, kkkkkk!

Maaaaas, ao fim deste processo o que temos é o iogurte natural normal, ainda não é o grego. Mas como eu faço o grego, Ale? Simples, basta drenar o iogurte para tirar o soro:




Eu uso assim como na foto mesmo, com porta filtro e filtro de café! Dá um pouco mais de trabalho, porque o porta filtro é pequeno e tem que ficar transferindo o grego para outro pote para continuar o processo. Pode usar um pano de prato limpo sobre um escorredor de macarrão ou peneira, por exemplo, dentro de uma tigela. 

Um sonho de consumo: o "fazedor" de iogurte grego da amazon.com! Olha que lindeza:



Mantém sempre na geladeira enquanto drena, para não azedar. No fim fica um pouquinho granulado, tipo um cottage mais mole, mas é só bater bem com um fouet que fica lisinho e cremoso como o grego do super!

Quem não é muito fã do gosto do iogurte natural, pode acrescentar adoçante, um pouquinho de pó de Clight, farelo de aveia ou mesmo geléias, mel ou frutas, se não estiver Dukando, hehe! Rende pouco mesmo, mas eu acho que super vale a pena! Sobra meio litro de soro e 1/3 do pote de iogurte, hehe! E o soro, Ale? Jogo fora?


Não!!!! O soro vai para a geladeira, pode substituir o leite em receitas de bolos, pães, tortas, panquecas, etc. Vi uma receita que usa o soro para fazer gelatina, vou testar qualquer dia desses e posto aqui. Às vezes, quando como tudo  e esqueço de guardar para produzir o próximo, no desespero, uso o próprio soro para produzir mais iogurte (1 copo cheio). O resultado é um iogurte igualmente saboroso, mas mais ralinho um pouco que o usual.
Bjks.
Fontes:

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Onde comprar produtos para dieta Dukan em Porto Alegre?

Pois é, não tenho produzido muitas receitinhas desde a pizza, tenho me mantido no básico mesmo. E acho que vou me manter assim esta semana, já que a balança hoje de manhã acusou 2kg a mais!!!! Bateu um pavor e fui correndo olhar a "tabelinha", esperando que seja retenção de líquido pela TPM. Na dúvida acho que vou fazer a semana toda de PP, kkkkk!

Como não tem receita nova, vou aproveitar para fazer o tão prometido post sobre onde encontrar produtos para as receitas Dukan aqui em Porto Alegre.

Bom, para a primeira fase não tem muito o que inventar, já que os alimentos autorizados são bem limitados.  Tem uma lista de compras fornecida pelo site oficial (clica na imagem para aumentar):




A minha lista para o ataque foi mais enxuta, deixo aqui uma sugestão:

- Carnes magras de gado: alcatra, filé mignon, patinho, coxão mole e duro, vazio, maminha e picanha - sempre tirando a gordura aparente. Costela não pode de jeito nenhum!!! Salsichão também não, nem de frango, pois tem muita gordura. É, o churrasco fica meio sem graça, : ( . Carne moída é uma mão na roda, porque dá para fazer algumas coisinhas diferentes, como espetinho Kafta (esta semana ainda posto a receita aqui), hambúrguer caseiro, guizadinho e até uma lasanha fake, kkkkk!

- Aves, exceto pato e ganso, o que nos deixa praticamente só o frango, sem pele, claro!

- Peixes e frutos do mar, sem exceção, para que gosta, o que não é meu caso.

- Leite desnatado.

- Iogurte desnatado natural (não, com polpa de fruta não pode!!!) 0% gordura. O meu eu faço em casa, é muito fácil e muito mais barato também! Eu tenho uma iogurteira elétrica, mas com um pouco paciência dá para fazer sem, posto a receita esta semana.

- Ovos, muitos ovos, muitos mesmo, hahaha!

- Peito de peru defumado e presunto magro fatiado.

- Queijos: ricota, minas, cottage e requeijão zero ou light. É beeeem difícil achar queijos e requeijão 0% (requeijão tem um, de pote de vidro e tampa rosa, que é 0%, mas é item raríssimo e custa quase R$ 9,00). O negócio aqui é levar uma lupa e olhar naquelas letrinhas miúdas qual a porcentagem de gordura por porção e atinar também para qual o tamanho da porção que eles citam. Por exemplo, 4,2% de gordura em 30g ou 9% em 100g? Pois é, a tal porção não é padronizada! Abre o olho.

- Alho e cebola para temperar. Limão, como tempero, também está liberado. Comprei também orégano e Zathar, que é um mix de temperos para pratos árabes.

- Gelatina diet.

- Adoçante, de preferência sucralose ou stevia.

- Leite em pó desnatado.

- Farelo de Aveia *

- Farelo de Trigo **


* Farelo de Aveia não é farinha de aveia, nem aveia em flocos, é farelo mesmo!!! No super se acha fácil o Oat Bran, da marca aquela da véinha de chapéu. O certo é o da caixa vermelha com um coração!

** Farelo de Trigo e fibra de trigo são a mesma coisa, no super vais achar com nome de fibra.


Para beber: muita água, com ou sem gás, chás, refrigerantes ZERO sem frutas (eu evito ao máximo, no livro diz que pode, mas tua cabeça é teu guia, hehe!) e sucos diet de pacotinho.

Todos estes itens podem ser encontrados facilmente em qualquer grande rede de supermercados. Eu praticamente só compro no do esquilinho, mas acredito que nos demais deva ter também.

O bom é que o ataque dura, no máximo, 10 dias, então não é tão difícil de aguentar.

Quando se passa à fase de Cruzeiro, que vai durar eternamente até alcançar o objetivo, entram legumes e verduras à vontade, com exceção do chamados farináceos, como batata e mandioca, por exemplo. Cenoura e beterraba pode em pouca quantidade e só em uma refeição por dia. Polenghinho e mozzarella light/zero entram como tolerados, assim como o amido de milho, um pouquinho de azeite para cozinhar e as goji berries, que eu amooooo!





E é no Cruzeiro, por causa da duração mais longa, que começa a bater o desespero para sair do omelete e do bife com salada, comer um "pão de verdade" ou até um docinho. Aí se descobre que alguns produtos podem salvar a vida, como a proteína isolada de soja (PIS) e a farinha de glúten. Na real elas podem até ser consumidas no ataque, embora eu ache desnecessário, já que inventar muito no ataque pode prejudicar a perda de peso, na minha humilde opinião. 3 a 10 dias dá para ficar sem, né?

E então começa a saga. PIS e farinha de glúten não são as coisas mais fáceis do mundo para encontrar. Nas lojas de produtos naturais às vezes tem, às vezes não! Para encontrar tudo em um único lugar, vale criar coragem e encarar o centrão: no Mercado Público tem tudo que precisamos e por preços infinitamente menores que no super!






250g de farelo de trigo R$ 1,00

500g de farelo de aveia R$ 2,95

500g de farinha de glúten R$ 2,60

200g de PIS R$ 5,00

200g chia R$ 13,90


Uma baita economia! Na Banca 12 tem tudo!!!! Admito que os farelos de aveia e trigo são mais grosseiros que os do super, então uso estes "a granel" para receitas e quando vou comer com iogurte uso os de marca, do super.


Acho que era isso! Tento voltar amanhã com alguma receita básica, provavelmente do iogurte! Bjks.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Massa para Pizza Dukan (Máquina de Pão/Panificadora)

Tô me sentindo uma Einstein da culinária Dukan! Acreditando no Prêmio Dukan de Culinária! Achando que redescobri a roda!!!

Estava morrendo de vontade de comer uma pizza, mas nenhuma das receitas de massa de pizza Dukan que achei na web me agradavam...  Ou ia farelo, ou muito ovo (siiiim, enjoei de ovo!) ou deixava a impressão que era fake demais. Parti para a criação. E ainda por cima queria fazer a massa na panificadora (máquina de pão), já que eu não pretendia deixá-la jogada num canto por mais de meio ano. Peguei o livrinho de receitas da máquina e fui lá na página da maravilhosa massa de pizza que eu costumava fazer antes de começar a dieta:


Massa para Pizza Convencional:

Para 600g de massa:

1 copo de água
½ colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de azeite de oliva ou vegetal
3 copos de farinha de trigo especial
1 ½ colher (chá) de fermento biológico seco

Esta receita rende, normalmente, duas pizzas de tamanho médio e ainda sobra um pouco de massa. Como eu queria uma pizza somente, resolvi dividir tudo por 1/3, e assim foram para a forma da máquina 1/3 copo de água, 1 pitada de sal, 1 fiozinho de azeite de oliva, 1 copo de PIS (proteína isolada de soja) e 1/3 colher de chá de fermento biológico seco. Ficou quase uma farofa, kkkkkkkk! Pensei com meus botões que eu não deveria ter inventado moda e ter usado a farinha de glúten, que deu super certo na receita do cacetinho. Mas eu queria economizar minha cota de farinha de glúten da semana, já que ela não é liberada, né? Além disso eu queria muito fazer algo com a PIS que a mammy poderosa comprou para mim ontem no Mercado Público (isso vai render um post ainda, aguardem cenas dos próximos capítulos). Bom, para tentar salvar a massa, taquei 1/2 copo de farinha de glúten, só que aí a coisa começou a ficar seca e voar pedaços de massa para tudo que é lado, hehe! Solução: ir botando água até ficar com aquela carinha da massa batida na panificadora, uma bolinha homogênea, descolada das paredes da forma e centralizada em torno do batedor. Botei também um pouquinho mais de fermento, já que acrescentei mais "farinha".





Tá, não ficou aquela lindeza que fica a massa convencional, mas dá para o gasto, né? A máquina bate a massa por 30 minutos e faz duas pausas de 30 minutos para crescimento, com uma leve mexidinha no meio do caminho para retidada do ar. Não sei se isso tudo seria necessário nessa receita que estou inventando, mas resolvi não arriscar e deixar a máquina completar seu ciclo de 90 minutos. 

E então chegamos à receita da massa de pizza, sem farelos e sem ovo, permitida em todas as fases, só cuide que a cobertura tenha os permitidos para cada uma.

Massa para Pizza Dukan:
(todas as fases)

1 copo de água
1 pitada de sal
1 fiozinho de azeite de oliva
1 copo de PIS (proteína isolada de soja)
1/2 copo de farinha de glúten
2/3 colher de chá de fermento biológico seco 

Retirar a forma de assar de dentro da panificadora e adicionar todos os ingredientes na ordem acima. Recolocar a forma de assar na panificadora, escolher o ciclo massa (na minha Mondial é o 8), fechar a tampa e pressionar o botão Iniciar/Parar. Quando a massa estiver pronta (após os bips), retirá-la da forma da panificadora e colocar em uma forma de pizza untada e enfarinhada (com glúten). Abrir modelando com as mãos e deixar crescer por 10 minutos. 

Quem não tem panificadora, acredito que dê tranquilamente para sovar a massa na mão, só iria acrescentando a água aos poucos, vendo o ponto da massa! Se alguém testar, avisa como ficou, por favor!!!!!!



A massa de hoje ficou meio difícil de abrir, pouco elástica, por isso ela aparece enfarinhada aí na foto, tive que colocar um pouco de farinha de glúten por cima para abrir, mas já acrescentei na receita ali acima, então acredito que na próxima não terei problemas para abrir. Enquanto a massa cresce, pré aqueça o forno. Eu dei uma pré assada nela, por uns 10 minutos e então retirei para colocar o molho de tomate e a cobertura. 






A pizza volta ao forno por mais uns minutos, só para derreter o queijo.



Linda, né? Dá para sentir um pouco o gosto da PIS, mas é pizza, não arremedo, kkkk! Próxima pizza vou tentar a massa só com farinha de glúten, ver como fica!

Quer saber da minha cobertura?

Mix de Cogumelos frescos ao espumante:
(cruzeiro PV/PL)

1 fiozinho de azeite de oliva
2 dentes de alho picados
quanto baste de cogumelos frescos (eu usei paris, shitake e shimeji)
sal e pimenta a gosto
1/3 de copo de espumante brut

Pode ser vinho branco seco, é que eu tinha uma garrafa de espumante aberta na geladeira, hehe! Pode ser nada também, só os cogumelos refogados no alho, é que eu adoro uma frescura de vez em quando, hehe!

Em uma frigideira, em fogo médio, aquecer o azeite e refogar levemente o alho. Acrescentar os cogumelos, temperar com sal e pimenta e cozinhar por uns 5 a 8 minutos, mexendo sempre. Juntar o espumante, abaixar bem o fogo e deixar reduzir bem o líquido. 





Este mix de cogumelos não serve só para a pizza, obviamente! É um excelente acompanhamento para carne, frango, recheio de panqueca ou até como prato principal. 


Ah, não reparem na panela cascurrenta, pois ela tem sentimentos, ok? Está na família há mais tempo que eu e, como diz o ditado, panela velha é que faz comida boa! E as Tramontina Inox de fundo triplo que ficaram na gaveta? Todas chora!

Precisa explicar como montei a pizza? Sério?

Espalhar sobre a massa o molho de tomate e uns 200 gramas de mozzarella light ralada (dã!) e, sobre a mozzarella, o mix de cogumelos. Finalizar com orégano e forno.

Hoje é dia de Late Bar Summer Nights e amanhã, consequentemente, dia de ressaca, rá! Tá, eu sei que bebidas alcóolicas são proibidas, super calóricas e tal, mas eu produzo a festa e vou discotecar, então fico na festa das 22:00hs de hoje às 6:00hs de amanhã... Nunca pensei em não molhar o bico, ainda mais que o drink da noite será o maravilhoso e refrescante Aperol Spritz, que eu amo de paixão. O bom é que entre os ingredientes do drink estão muito gelo e água com gás, então a gente aproveita para aumentar a cota de líquidos do dia, :P!




Bjks e bom domingo!








sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Kibão recheado Dukan

Voltei para postar mais uma receita de hoje! Esta foi a primeira receita Dukan que eu fiz, ainda na fase de ataque, para fugir do bife grelhado, ovos cozidos e omeletes, umas 2 semanas atrás quando ainda não tinha desenterrado reativado o blog, gostei tanto que resolvi fazer um repeteco.  


Esta receita está no site oficial como um  rocambole de carne, com sugestão para o kibe.

Aqui vai minha versão:

Kibão recheado Dukan:
(todas as fases)

600 gr de carne moída  
2 colheres de sopa de farelo de trigo 
3 colheres de sopa de farelo de aveia
1 cebola cortada em cruz
2 dentes de alho 
hortelã fresca a gosto
Zathar ou pimenta síria a gosto
sal a gosto
1 fiozinho de azeite de oliva
150 gramas de peito de peru fatiado cortado em tiras
150 gramas de mozzarella light ralada*
1 raminho de hortelã para decorar 

*No ataque usa queijo zero, ok? Mozzarella light é tolerado, só a partir do cruzeiro.

Coloque o farelo de trigo de molho na água por aproximadamente 15 minutos. Enquanto o trigo hidrata, bata no liquidificador o azeite, a cebola, os dentes de alho, a hortelã (menos o raminho para decorar, né?), o Zathar e o sal, até formar uma massaroca pasta não muito pasta, que a cebola fique pequeninha mas não desapareça. 
Coe o trigo, espremendo em um pano limpo ou coador de café até sair toda a água. Junte o trigo hidratado, o farelo de aveia e a "massaroca" à carne moída e misture bem com a mão, sovando até pegar liga. Pegue metade desta massa de carne e forre o fundo de um refratário, levantando um pouco nas bordas (ver foto). Recheie com o peito de peru e a mozzarella e cubra com o restante da carne. Com uma faca, faça um desenho de quadrados (só para ficar bonitinho, se não quiser tudo bem, hehe). 




Leve ao forno a 220ºC por aproximadamente 30 a 40 minutos, depende da potência do forno. O meu assa mais atrás que na frente, então eu dou uma viradinha no refratário quando a parte de trás fica douradinha, ha! E aí está o Kibão Dukan pronto: 



Rende umas 4 a 6 porções, dependendo da fome, hehe! Para acompanhar: limãozinho para espremer por cima e coalhada seca! Huuuuuuuuuum!
Ah, querem a receita da coalhada, né?


Coalhada seca:

1 pote de iogurte natural, desnatado pois estamos de dieta
1 pitada de sal
suco de 1/4 de limão
1 pitada de Zathar ou pimenta síria

Bom, a coalhada seca nada mais é que iogurte natural, drenado até morrer até ficar bem sequinho. Eu faço meu iogurte em casa (é muito simples, qualquer dia posto a receita) e uso filtro de café em porta filtro para coar. Depois de coado é só misturar os demais ingredientes e misturar bem.



Fácil, né? Bom, o post com as compras de produtos Dukan fica para outra hora, afinal este já é o 3º post de hoje e nem postei a sobremesa, que também fica para outro dia, hehe! Bjks e bom findi.






Peito de frango ao Molho de mostarda Dijon (Dukan)

Voltei para postar a receita do almoço de hoje. Dia de PP requer um pouco mais de criatividade para não morrer no bife grelhado, e só, né?

Então aí vai:

Peito de frango ao Molho de mostarda Dijon:
(Fases Ataque e Cruzeiro PP)

  • 1 peito de frango
  • suco de meio limão
  • 1 dente de alho picado
  • sal e pimenta a gosto
  • um fiozinho de azeite de oliva
  • 1 colher de sopa de requeijão zero
  • 1 colher de sobremesa de mostarda Dijon sem açúcar
Tempere o peito de frango (eu divido ele ao meio, longitudinalmente, para grelhar mais rápido) com sal e pimenta, o dente de alho picado, o suco de limão e deixe marinar por uns 30 a 60 minutos, ou o tempo que der. Em uma frigideira antiaderente, com o fiozinho de azeite e em fogo médio, doure o peito de frango e reserve. Na mesma frigideira, para aproveitar o gostinho, coloque a mostarda e o requeijão, misturando e deixando levantar fervura para formar o molho. Despeje o molho sobre o peito de frango e pronto! Simples, rápido e saboroso, como eu gosto, hehe!


E como hoje eu tirei o dia para peruar (podóloga, salão, essas coisas de perua, sabe?), fiquei com bastante tempo livre entre um "compromisso" e outro... Como usar este tempo? Antigamente eu ficaria no Facebook, jogando joguinhos inúteis e fuçando na vida alheia, kkkkk! Agora eu pesquiso receitas e vou para a cozinha me arriscar! Portanto teremos mais umas 2 ou 3 receitinhas feitas hoje. Não sei se postarei hoje ainda, mas serão devidamente fotografadas para o blog. ;)

Ah, como fui no salão fazer as patinhas (normalmente faço eu mesma minhas unhas e aí falta coragem para fotografar os bifes as unhas e postar, vai que acabo lá na Tia Shame, Deus me livre!!!) vou aproveitar para fugir um pouquinho do assunto que tem dominado o blog nas últimas semanas e retomar um dos temas: esmaltes!



A cara do verão essa cor, né? Quase o Jade da Chanel, sqn, hehe!

Bjks.

Cacetinho Dukan, eu consegui!!!

Para quem não sabe, cacetinho é como chamamos o pãozinho francês aqui na república dos pampas, hehe! O pãozinho que me arrisquei a fazer ontem não é beeeeem um cacetinho, pois fica mais sovado, mas ficou M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!! Olha só a carinha linda dele:




Foi devorado com requeijão zero, presunto magro e mozzarella polenghi light, yummy! Quer a receita, né? A original tem lá na Casa do Julio, mas deixo aqui também.

Pãozinho de farinha de glúten:
(a partir do Cruzeiro, limitado à 100 gramas ao dia, 3x por semana)

200g de farinha de glúten peneirada
5g de fermento biológico em pó (meio pacotinho)
uma pitada de sal
3 colheres de sopa de iogurte natural desnatado
50ml de água morna

Misturar todos os ingredientes, com as mãos mesmo, até formar uma massa homogênea e que desgrude das mãos. Sovar bem, até que fique elástica (pode espichar bem, sem romper). Dividir em 4 partes e modelar os pãezinhos na forma que preferir. Colocar sobre uma assadeira levemente enfarinhada (com a farinha de glúten) e deixar crescer por no mínimo 30 minutos, coberto com um pano de prato limpo e levemente umedecido. Depois de crescido pode fazer um corte para decorar. Levar ao forno pré-aquecido (220ºC) por 15 a 20 minutos.

Rende 4 cacetinhos de 50 gramas mais ou menos. Isso quer dizer que pode comer 2 por dia, 3 vezes por semana, ok?

Eu comi só um e fiquei meeeega satisfeita. O marido comeu outro e achou muito gostoso, acho que vai emagrecer por tabela, hehe! Os outros dois coloquei num ziplock e foram para o freezer, já assados. Na próxima vez vou reduzir a receita ou tentar deixar 2 só pré-assados para congelar. Outra tentativa será fazer a massa na máquina de pão e, se der certo, fazer tudo na máquina, hehe!

Como não tinha comido meus farelos ontem durante o dia todo, mesmo sem fome fiz um mingau de aveia com goji berry para comer antes de dormir. Depois de pronto botei para gelar, porque não sou masoquista.




E no potinho do glorioso Sport Club Internacional, para combinar, hehe!

Mingau de Farelo de Aveia com Goji Berry:

1 xícara de leite desnatado
2 colheres de sopa de Farelo de Aveia
1 colher de chá de adoçante culinário
1 tampinha (ou colher de cafézinho) de essência de baunilha

Fiz no fogão, mexendo sempre até ficar na consistência desejada! Demoooooora... E como eu queria meio pudim, demorou mais ainda, hehe! Tem gente que faz no microondas, mas vai pondo 30 segundos por vez, tirando e mexendo, senão transborda tudo! Depois de pronto é só colocar as passas de Goji Berry e misturar, estas decorando por cima são só para a foto. :P

Mais tarde volto com as receitas de hoje e outras infos sobre onde comprar produtos Dukan em POA.

Bjks.